Perdendo 10%

A dracma perdida por Jeong Geuntae
Se uma mulher que tem dez moedas de prata perder uma, vai procurá-la, não é? Ela acende uma lamparina, varre a casa e procura com muito cuidado até achá-la. Lucas 15.8

O grande dilema da existência humana não é exatamente a nossa perdição real e sim sobre a nossa perdição percebida. Nós sabemos que estamos perdidos, esse é o nosso dilema. Esta é a boa notícia do evangelho: Nós temos sido achados em Jesus Cristo. E isto não é algo que nós fizemos, não é algo que conquistamos, porque graça conquistada não é graça, graça merecida também não é graça. Então, por que uma mulher que tem dez moedas de prata e perde uma acende a luz, varre a casa e procura com muito cuidado até achá-la? Por que tanta dedicação em procurar uma moeda que valeria hoje pouco mais de vinte reais? Somente conhecendo o contexto da história podemos avaliar o quanto de fato a moeda valia. As mulheres casadas no tempo de Jesus usavam uma espécie de colar que era colocado como um frontal na testa chamado de semede e era feito de dez moedas de prata. Estas dez moedas significavam que o relacionamento com seu marido ia muito bem. Então como ela iria justificar a perda de uma dessas moedas? Como ela iria andar na rua com seu colar faltando uma moeda?
Algumas palavras parecem que saltam do texto para desafiar a nossa percepção. Primeiramente a palavra procurar, e não somente procurar, mas sim procurar até achar. Jesus na parábola quis dizer que se uma mulher procura desta maneira uma joia e não descansa até encontrá-la, quanto mais Deus não procuraria alguém que está perdido?
Então o que tem isso a ver conosco? É possível que estejamos perdidos dentro da casa de Deus? É possível estarmos em comunhão em uma igreja e termos perdido a nossa fé? É possível que o ativismo dentro da igreja tenha feito com que perdêssemos o vínculo com a família de Deus e, consequentemente, o nosso primeiro amor? É possível que estejamos tão ocupados em falar de Deus que nos esquecemos de falar com Deus?

Leitura Lucas 15.8-10

0 comentários. Faça o seu:

 
Copyright 2012 Amós Boiadeiro. Powered by Blogger
Blogger by Blogger Templates and Images by Wpthemescreator
Personal Blogger Templates