Vocês valem mais

Jonas pregando em Nínive, autor não identificado
Não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei, antes, aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo. Mateus 10.28

Este texto no grego original não faz, como parece, distinção entre corpo e alma, porque segue rigorosamente o princípio do pensamento hebraico. No entanto, identifica claramente a diferença entre a vida biológica e a vida transcendente, principalmente quando afirma que a vida transcendente, o que no Cristianismo se estende por eternidade, é incomparavelmente melhor do que a vida biológica que é efêmera. Dentro deste contexto os ecologistas e ambientalistas estão certíssimos em afirmar que é necessário que esta geração faça qualquer sacrifício pela preservação de um mundo minimamente habitável para as gerações futuras.
Jesus foi bem específico quando disse para não temermos aqueles que podem destruir o corpo, num sentido figurado, não temer aqueles que podem nos fazer o mal diretamente a nós, como indivíduos. Mas antes temer aqueles que podem fazer da vida um inextinguível inferno. O mundo todo diz amém. Tanto crédulos como incrédulos voltariam felizes para as suas casas e todas as ONGs festejariam alegremente. Por causa disso é que eu fico me perguntando por que Jesus não parou o seu discurso aí? Por que não disse somente o que era consenso? Por que ele foi dizer que um homem vale mais do que muitos pardais? Por que ele foi dizer que a natureza deve ser submissa ao homem? Por que ele foi dizer que a natureza existe por causa do homem e não o contrário?
A realidade é que a preservação ecológica também tem seus limites. Não se pode prender no regime inafiançável uma pessoa que pescou meia dúzia de tilápias para matar sua fome, em um lago destinado à preservação ambiental. Da mesma forma, não se pode condenar uma família ao desterro por habitar, se é que podemos chamar assim, uma área que foi considerada reserva ecológica. São para estes casos que Jesus vem dizer que a vida do pescador vale mais do que toda aquela criação, e que algumas poucas árvores de pé não justificam que uma família venha a ser privada de suas necessidades básicas.
Como é que ainda pensamos que podemos cuidar da natureza, se nem do nosso irmão damos conta? A agressão ao meio ambiente não é não pode ser a primeira causa a ser defendida pelos servos do Criador. Ela deve ser a consequência de uma luta muito mais próxima, que leva em conta primeiramente a vida humana, assim denunciaram os profetas. O que só prevalece é perjurar, mentir, matar, furtar e adulterar, e há arrombamentos e homicídios sobre homicídios. Por isso,  ̶  exclusivamente por isso  ̶  a terra está de luto, e todo o que mora nela desfalece, com os animais do campo e com as aves do céu; e até os peixes do mar perecem. Assim profetizou Oséias.

Leitura: Lucas 12.1-7

0 comentários. Faça o seu:

 
Copyright 2012 Amós Boiadeiro. Powered by Blogger
Blogger by Blogger Templates and Images by Wpthemescreator
Personal Blogger Templates