O que é EL?

Baal e Astorete
El, do hebraico ’êl, acádio ilu, árabe ilah é a mais antiga denominação semítica da divindade, que aparece também no cananeu, mas não do etíope. Em certos lugares do Primeiro Testamento, a palavra ’êl parece ainda ter este significado antigo, como por exemplo, em Sl 80,11- Com a sombra dela os montes se cobriram, e, com os seus sarmentos, os cedros de Deus. Outras derivações, porém, acharam pouca aprovação.

El é tanto nome de espécie, plural: ’êlím, ilãni; feminino: allab, elat, quanto nome próprio de um determinado deus. Entre os nomes próprios teofóricos acádios ilu é normalmente o substantivo. Exemplo ibassi-ilu: existe um deus, ou ibasSi-ilãni: existem deuses, ou mais longo: ili-bâni: deus é o meu criador, iluma-ilu: meu deus/deus que me protege/é deus, no hebraico Eliel. Às vezes ilu significa um deus determinado que mais tarde seja levado ao panteão acádio, do qual Anu, o deus do céu, era a cabeça.

Entre os arameus os nomes próprios combinados com El aparecem bastantes vezes: Kemuèl, Batuél, Hazael, Tabeel e Emmanuel, este significa deus está conosco. El, no oitavo século, entre os arameus era honrado como um deus em particular, provavelmente, esse El está indicado também entre os nomes próprios teofóricos.

Entre os fenícios El é igualmente citado nas inscrições como um deus distinto. Em Ugarit ele é o deus o mais elevado, Pai de Baal e Moth e dos setenta filhos de Asherah. Ele é representado como um velhinho e é chamado de rei, pai dos anos, o muito idoso. Mesmo se El é chamado rei da terra em Canaã, ele seria colocado à cabeça do panteão, seria reconhecido como rei e pai dos deuses, mas na prática o seu culto é metodicamente despojado de significado e é suplantado pelo de Baal.

Na Arábia antiga os nomes de pessoas formados com Ilah são tantos, que se pode presumir que os antigos árabes, que parecem ser os ancestrais dos povos semíticos, adoravam um certo deus El, mesmo que mais tarde aceitassem também outros deuses. Nomes próprios como ilah, provam o caráter moral do deus em questão: ilah é o justo, sublime, amável, benevolente, é senhor, amante dos homens e também glorioso.

Os israelitas usavam o nome El, sobretudo, na linguagem poética, como nome de espécie para o Deus dos deuses: Gn 31.13 - Eu sou o Deus de Betel, onde ungiste uma coluna, onde me fizeste um voto; levanta-te agora, sai desta terra e volta para a terra de tua parentela, ou para indicar o Deus único: Bendito seja o Senhor que, dia a dia, leva o nosso fardo! Deus é a nossa salvação, e em de pessoa como, por exemplo: Elias, Javé é Deus; Ele, ele é Deus; Eliel, El é Deus; Eliada, Deus conhece; Elimelek, Deus é rei. Muitas vezes é juntada a El uma determinação, como em èl-sadday, Deus todo poderoso; El-Elyon, Deus das alturas; El Roi, o Deus que aparece ou o Deus que me vê.

Aparecem adjuntos como o “El do vosso ou dos vossos pais”: o El de Abraão, de Isaac e de Jacó. O significado disto é: o Deus que se revelou a vosso pai, e permanece em relação constante com aqueles que o adoram, que, portanto, não está ligado a um lugar determinado ou a um santuário determinado, mas sempre aos chefes de uma tribo. Essa aliança surgiu segundo Gn 12.1-3, de uma livre decisão, da vontade de Deus que fez uma aliança com Abraão e seus descendentes. Desde então El é reconhecido como Deus de Israel e todos os outros deuses são encarados como estranhos. O termo “deus dos deuses”, êl-êllm, quer dizer que ’êl contém em si toda a divindade. Sua natureza moral, força, glória, dominação, amor paternal, justiça etc. são reforçados com numerosos nomes próprios, mas todos formados a partir de El.

0 comentários. Faça o seu:

 
Copyright 2012 Amós Boiadeiro. Powered by Blogger
Blogger by Blogger Templates and Images by Wpthemescreator
Personal Blogger Templates