O que é LÂMPADA?

Lâmpada para os meus pés, Path Bertram Poole
Pelo brilho, pelo calor, pela indisfarçável anunciação e pela sua luz, a lâmpada no contexto da Bíblia, tanto no Primeiro como no Segundo Testamentos, significa presença viva, a de Deus, e a do homem.

A lâmpada, símbolo da presença divina.
És tu, Javé, minha lâmpada (II Sm 22.29). Com este brado Samuel proclama que só Deus pode dar luz e vida. Não é ele o criador do espírito que está no homem, o qual é “uma lâmpada de Javé” (Pv 2.27)? Não ilumina ele, como uma lâmpada, o caminho do crente, por sua Palavra (Sl 119.105), e por seus mandamentos (Pv 6.23)? Não são as Escrituras proféticas uma “lâmpada que brilha em lugar obscuro, até que principie a despontar o dia e se levante o astro da manhã em nossos corações” (II Pe 1.19)?

Quando vier o Dia do Senhor, onde não haverá mais pranto nem dor, a escuridão da noite também não existirá; “os eleitos não precisarão de lâmpada, nem de sol para os iluminar”, porque o “Cordeiro lhes servirá de Lâmpada” (Ap 22.5; 21.23).

A lâmpada, símbolo da presença humana.
O simbolismo da lâmpada se encontra também no plano mais humilde da presença humana. A Davi, Javé promete uma lâmpada perene, isto é, uma linhagem perpétua (II Rs 8.19; I Rs 11.36; 15.4). Por outro lado, se o país é infiel, Deus ameaça fazer dele desaparecer “a luz da lâmpada” (Jr 25.10): então acabou-se a felicidade durável para o malvado cuja lâmpada se extingue depressa (Pv 13.9).  Jó 18.5-6 - Na verdade, a luz do perverso se apagará, e para seu fogo não resplandecerá a faísca; a luz se escurecerá nas suas tendas, e a sua lâmpada sobre ele se apagará.

Para expressar sua fidelidade a Deus e a continuidade de sua prece, Israel faz arder perpetuamente uma lâmpada no santuário (Ex 27.20; Is 3.3); deixá-la apagar-se seria dar a entender a Deus que o abandonaram (II Cr 29.7). Pelo contrário, bem aventurados serão os que vigiarem, à espera do Senhor, como as virgens prudentes (Mt 25.1-8) ou o servo fiel (Lc 12.35) cujas lâmpadas permanecem sempre acesas.

Deus espera ainda mais do seu fiel: em vez de deixar sua lâmpada sob o alqueire (Mt 5,15), ele deve fazê-la brilhar como um alto e forte foco de luz no meio da escuridão de um mundo pervertido (Fp 2.15), assim como outrora o profeta Elias, cuja palavra queimava como uma tocha, ou ainda como João Batista, essa “lâmpada que ardia e brilhava” (Jo 5.35) para dar testemunho da verdadeira luz (Jo 1,7).

Assim é representada a Igreja fundada sobre os ensinamentos de Pedro e Paulo, “as duas oliveiras e os dois archotes que estão diante do Senhor da terra” (Ap 11.4), deve fazer resplandecer a glória do Filho do Homem (Ap 1.12). 

0 comentários. Faça o seu:

 
Copyright 2012 Amós Boiadeiro. Powered by Blogger
Blogger by Blogger Templates and Images by Wpthemescreator
Personal Blogger Templates