As 10 palavras I

Moisés e a sarça ardente, cena do filme Os X Mandamentos, 1956
Os X mandamentos não são normas de procedimento para a humanidade em geral, como nós pensamos e como nós os utilizamos. Eles são um meio alternativo de vida. Um meio alternativo de vida para um povo particular conhecer um Deus particular. São para conduzir um povo que deveria ser um símbolo, bem como a testemunha de que Deus não tem abandonado o mundo à sua própria sorte.

Essas dez palavras ou X Mandamentos são para aqueles que têm como seu Deus, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó. Para aqueles que são conhecidos por serem fiéis ao Deus de Jesus Cristo. Esses mandamentos são a forma que conhecemos para adorar o Deus verdadeiro, verdadeiramente. Por isso, vamos rapidamente recordar a história.

Israel estava na escravidão no Egito. Foi então que Moisés, um assassino fugitivo que estava tomando conta de ovelhas em Midiã, de uma sarça pegando fogo ouviu uma voz que lhe disse: Ex 3.7 - Então o SENHOR disse: — Eu tenho visto como o meu povo está sendo maltratado no Egito; tenho ouvido o seu pedido de socorro por causa dos seus feitores. Sei o que estão sofrendo. Por isso desci para libertá-los do poder dos egípcios e para levá-los do Egito para uma terra grande e boa.

Aqui está um Deus que escuta, que se intromete e que age. Aqui esta um Deus que cuida, que se importa, que ama. Um Deus que disse a Moisés: Eu vou libertar meu povo, imagine você quem vai me ajudar? 3.10 - Agora venha, e eu o enviarei ao rei do Egito para que você tire de lá o meu povo, os israelitas. Por que Deus faria isso, porque é contra a escravidão? Claro que Deus é contra qualquer tipo de escravidão, mas não foi esta a razão. A condição primeira é essa: o Deus eterno exige a liberdade da escravidão para que seu povo vá ao deserto para louvá-lo. 3.18 - Digam a ele: “O SENHOR, o Deus dos hebreus, apareceu a nós. Agora deixe-nos ir para o deserto, a uma distância de três dias de viagem, para oferecer sacrifícios ao SENHOR, nosso Deus.

A dureza do coração do Faraó fez com que ele resistisse, por isso então houve luta, confrontação, pragas e muita morte, até a hora em que ele disse: — Saiam daqui, vocês e todos os outros israelitas! Deixem o meu país. Vão adorar a Deus, o SENHOR, como vocês pediram. Foi exatamente isso que eles fizeram: foram para o deserto e lá experimentaram a liberdade, mas eles ainda não estavam libertados. Eles foram libertados da escravidão para adorar a Deus no deserto, mas havia um problema. Depois de tanto tempo na escravidão sem louvar a Deus, eles simplesmente se esqueceram de como se faz isso. Como prestar, então, um culto de louvor a Deus? Usar uma liturgia tradicional ou uma contemporânea? Vamos usar incenso, tocar bateria e bater palmas? E os paramentos?

Moisés foi chamado por Deus para seguir os seus sinais. Deus começou fazendo com que ele se lembrasse de tudo que havia feito por Israel, assim indicando com ele era e como ele agia em favor de seu povo. Disse claramente que o povo, por essa razão, deveria adorar e louvar somente a ele. Mas como eles iriam louvar e adorar sem saber como fazê-lo? E é justamente dessa dúvida que surgem os X Mandamentos, como se pode ler em Êxodo 20. Deus começa a mostrar-lhes um modo alternativo de vida: não adorar ídolos; não matar; não roubar; não fazer sexo com a esposa ou com o esposo dos outros.

Moisés deve ter pensado: Passei a minha vida inteira assistindo cultos de louvor e adoração, mas nunca assisti um culto desse jeito. Que relação pode ter essas dez palavras com o meu jeito de louvar? Deus está me dizendo que se eu quero adorar a Deus, que faça como achar melhor. Mas se eu quero adorar o Deus de Abraão, Isaque e Jacó. Se eu quero adorar o Deus de Jesus Cristo, o único jeito é esse. Que coisa mais inesperada é essa? Que noção mais estranha de adoração quando comparada à adoração dos outros deuses. 

A realidade é que tanto eles quanto nós, só conhecemos mesmo os deuses que fomentam as guerras, é só ver quantas guerras religiosas existiram e existem ainda no mundo. É verdade que conhecemos também os deuses do sexo. É só observarmos quantas igrejas específicas para pessoas de grupos sexuais definidos estão surgindo. Há também os deuses do ouro. Basta ver quantas igrejas evangélicas estão pregando a prosperidade financeira e a riqueza como bens supremos.

E essas 10 palavras, o que têm a nos dizer sobre isso? (continua)

0 comentários. Faça o seu:

 
Copyright 2012 Amós Boiadeiro. Powered by Blogger
Blogger by Blogger Templates and Images by Wpthemescreator
Personal Blogger Templates