Magia x Milagre

Saul e a pitonisa de En-Dor de Allston (1779-848)
Na ansiosa busca pelo divino, é através dos milagres que podemos avaliar quais pessoas foram mais foram próximas de Deus na Bíblia. Embora não se encontre nas Escrituras nenhuma referência à palavra milagre, pelo menos da maneira como a entendemos hoje, também não se pode encontrar nestas páginas nenhum compromisso firmado da parte de Deus no tocante a realizar ou não estes feitos extraordinários. Wesley em seu sermão “A Vida no Deserto” é taxativo: Deus, na sua infinita soberania, pode fazer tudo o que quer, mas nós não temos razão nenhuma para esperar que ele o faça.

Entre os ultimatos contidos na Bíblia, um dos mais severos é: somente Deus pode realizar milagres. São de sua exclusiva competência o como e o quando realizar. Os milagres acontecem em apoio à sua Palavra, que tem por finalidade última o plano de salvação. Mas ainda que cercado por toda uma atmosfera de onipotência, até o milagre está subjugado à Palavra de Deus: Quando profeta ou sonhador se levantar no meio de ti e te anunciar um sinal ou prodígio, e suceder o tal sinal ou prodígio de que te houver falado, e disser: Vamos após outros deuses, que não conheceste, e sirvamo-los, não ouvirás as palavras desse profeta ou sonhador; porquanto o SENHOR, vosso Deus, vos prova, para saber se amais o SENHOR, vosso Deus, de todo o vosso coração e de toda a vossa alma. Dt 13,1-3
Além da predisposição da Bíblia em subjugar os milagres, ela faz uma clara distinção entre o feito exclusivo de Deus e as tentativas humanas de imitá-lo. Todos os povos da antiguidade tinham magos, adivinhos, necromantes, encantadores, prognosticadores, feiticeiros etc. Em Israel só era permitido existir profetas: homens e mulheres, que, embora estivessem a serviço de Deus, não possuíam poder sobrenatural algum, e estavam sempre sujeitos às represálias de todos os que se sentiam indignados com a veemência de suas palavras. Reação bem diferente do temor que os magos infligiam à população pagã. Fica para Israel o seguinte desafio: aguardar pacientemente por um raríssimo milagre de Deus, ou seguir os encantamentos e magias que, entre os povos vizinhos, havia em profusão. Mas algumas perguntas se tornaram pertinentes:
Por que os milagres não acontecem mais hoje em dia? 
E quando acontecem, porque que não possuem igual magnitude?
Por que a mente tecnológica do século XXI está sempre propensa a buscar na magia, ainda que de forma efêmera, a essência do milagre?
Indo ao encontro de mais questionamentos do que respostas, passemos e refletir sobre a cabal diferença entre estes dois apelos da natureza humana: magia e milagre.




0 comentários. Faça o seu:

 
Copyright 2012 Amós Boiadeiro. Powered by Blogger
Blogger by Blogger Templates and Images by Wpthemescreator
Personal Blogger Templates