O Outro é o nosso Cristo

Prelazia São Felix do Araguaia
Em verdade vos afirmo que, sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes. Jesus Cristo (Mateus 25.40)

Texto do rev. Jonas Rezende. 
       
A caminhada da vida, como você sabe, é solitária, mas pode ser também solidária. Diante da mentalidade que assume cinicamente que “aquele que puder mais que chore menos”, nossa preocupação deve ser, como nos lembra o poeta Shelley, com “o horizonte da humanidade”. O outro é o nosso próximo, ainda que distante geograficamente. Não é o inferno, como lemos na peça Entre Quatro Paredes, de Jean-Paul Sartre.

Na primeira caminhada de Gautama, o Buda, pelos domínios de seu pai, apesar de todo o percurso ter sido preparado para que ele só entrasse em contato com coisas boas, Buda vê um morto, um enfermo e um mendigo. E aí começa a sua séria reflexão sobre a Vida. Hoje, ele saberia que existem, no mundo, um bilhão e meio de esfaimados e apenas cinquenta e sete bilionários! Não podemos fugir, diante de um quadro social tão trágico, como tentou fazer o profeta Jonas. Haverá maior rigor diante do juízo divino para os que são informados e nada fazem do que para Sodoma e Gomorra. Quem nos afirma isto é o próprio Jesus. E o Cristo se identificava até as últimas consequências com os desfavorecidos, o que faz do marginalizado o nosso próprio Cristo. Nas palavras do Mestre: “Sempre que vocês fizerem a um destes meus pequeninos, estarão fazendo a mim mesmo”. A Teologia da Libertação, com sua opção preferencial pelos pobres, se sintoniza, para mim, com o próprio coração de Deus. E nos toma parceiros de Jesus.

Note como Olavo Bilac vê o Natal do Filho do Homem:

Não nasceu entre pombas reluzentes, 
na humildade e na paz desse lugar, 
assim que abriu os olhos inocentes, 
foi para os pobres o seu primeiro olhar.

0 comentários. Faça o seu:

 
Copyright 2012 Amós Boiadeiro. Powered by Blogger
Blogger by Blogger Templates and Images by Wpthemescreator
Personal Blogger Templates