Onde se reunirão os urubus?

Filho da viúva de Naim, autor não identificado
Então os discípulos perguntaram: — Senhor, onde vai ser isso? Ele respondeu: — Onde estiver o corpo de um morto, aí se ajuntarão os urubus. Lucas 17.37

Uma mensagem de cunho profundamente apocalítico que Jesus profere, muito provavelmente originária do Evangelho Q, que imagino ter sido transcrita durante o cerco de Jerusalém, no ano setenta, suscitou uma pergunta muito estranha. Ao tomarem conhecimento da brevidade de um futuro trágico, em vez da pergunta clássica do quando, os discípulos estavam querendo saber onde.

Quem sabe, talvez eles inibidos diante das várias observações que Jesus fez sobre a preocupação inútil e indevida de se perscrutar os tempos de Deus, agora estivessem tentando uma outra abordagem. Desta feita não mais por meio do fator tempo e sim focados no espaço, no onde aconteceriam todas aquelas coisas. Então, a pergunta que permaneceu e ainda permanece no ar é esta: onde de ajuntarão os urubus?

Não é novidade alguma, mesmo para aqueles que como eu não assistem TV, o grande sucesso que a novela “Os X Mandamentos” obtém entre os telespectadores do chamado “horário nobre”, principalmente evangélicos. Também não é novidade que a emissora líder de audiência em nosso país está com a sua liderança seriamente ameaçada, não somente por esse pontual evento, assim como por outros que se anunciam. Louvo a Deus por esse desmantelamento do oligopólio da Rede Globo, que tanto mal tem causado ao povo brasileiro. Contudo, quero deixar claro que o meu louvor para por aí.

Algumas observações são necessárias nesta hora:

Primeira, é a cautela com a tentação de se fazer com que a visão do diretor da novela não agrida e nem obscureça o texto bíblico, que por si só já é uma das mais fantásticas histórias jamais contadas.

A segunda, é o perigo da deificação dos personagens, que são meros instrumentos nas mãos de Deus, visto que não se trata de uma luta particular entre Moisés e Ramsés, e sim do Deus libertador contra os deuses da opressão.

A terceira observação, é que o milagre não ficou confinado em um passado distante, e que Deus continua levantado pessoas como Moisés para promover a sua ação libertadora no mundo, e que diante disso temos que estar atentos aos sinais que ele está nos dando hoje, para que não sigamos os deuses errados.

A despeito de tantas outras observações que são cabíveis aqui, quero exaltar neste episódio a hilariante disputa que estão travando dois urubus velhos e bem conhecidos dentro e fora do meio evangélico. São eles o bispo Edir Macedo e pastor Silas Malafaia. Não é, que para espanto generalizado, o segundo está acusando o primeiro de usar a Bíblia para ganhar dinheiro? Como diria o pastor Adélio, um personagem humorístico que de forma alguma recomendo: que mentira é essa, meus irmãos?

Alguém poderia em sã consciência ter, ainda que breve, uma visão desses inusitados acontecimentos? Eu penso que Jesus não poderia ser mais atual com a sua reposta naquele milênio, porque ao redor da igreja do século XXI, que está prestes a sucumbir pelas escolhas erradas que vem fazendo e pelas ênfases equivocadas que vem atentando, ele anteviu esta gloriosa reunião de urubu se digladiando mutuamente.

Com novela ou sem novela, com Globo ou sem Globo, que se matem os urubus e que viva todo o Israel santificado, mas que este permaneça fiel a Deus e à sua Palavra.

0 comentários. Faça o seu:

 
Copyright 2012 Amós Boiadeiro. Powered by Blogger
Blogger by Blogger Templates and Images by Wpthemescreator
Personal Blogger Templates