O que é MILAGRE?

Bodas de Caná, Jan Vermeyen (1500-1559)
A Bíblia não contém uma palavra que possua o sentido igual ao que damos a palavra milagre hoje. A essência do milagre bíblico está ligada à sua função como sendo um sinal. Ela fala que quando Deus responde a uma oração, o faz sempre através de um sinal. Como o suplicante na sua oração não possui qualquer mérito, o simples fato de atendê-la já é um sinal da sua misericórdia. Esta função do milagre bíblico é muito mais importante do que os chamados fenômenos sobrenaturais difíceis de provar. Ainda que assim pensassem, os israelitas sempre creditaram os acontecimentos que estão acima das leis fundamentais da natureza como sendo uma casualidade imediata de Deus. Tudo quanto aprouve ao Senhor, ele o fez, nos céus e na terra, no mar e em todos os abismos (Sl 135.6).

Como Deus era considerado autor de todos os fenômenos da natureza e de todos os acontecimentos históricos, os israelitas não distinguiam os fenômenos naturais dos sobrenaturais, pois tudo o que acontecia era segundo a sua livre vontade. O povo de Israel não fazia distinção entre milagres porque indistintamente todos eram obras do seu Deus. O poder de Deus é ilimitado, portanto, agir de modo comum ou extraordinário não lhe requer esforço algum, muito menos o favorecimento das circunstâncias. A história e a natureza só fazem realçar o que é maravilhoso, misterioso, surpreendente e espantoso no milagre. Assim eram considerados tantos os milagres do Êxodo quanto a chuva ou o trovão.

A função do milagre ou do sinal, como queiram chamar, nunca poderá ficar restrita às confirmações apologéticas, às palavras proféticas ou às provas da proteção divina particular. Não era tanto o caráter da intervenção divina que impressionava, mas a própria intervenção em si. Ou seja, o maior milagre era a presença de Deus, e quando ele se fazia presente, todas as coisas poderiam acontecer, até mesmo o milagre. Contudo, mesmo que não aconteça absolutamente nada de extraordinário, a sua simples presença já era o sinal inequívoco da sua misericórdia e a confirmação da sua glória e onipotência. Acima de tudo uma coisa eles entendiam perfeitamente. Nem mesmo os maiores milagres podem nos fazer conhecer a medida da verdadeira grandeza da essência de Deus.

Da mesma forma no Segundo Testamento, os milagres de Jesus causavam admiração e espanto, e estes são os sentidos exatos da expressão grega utilizada nos evangelhos sinóticos quando quer dizer milagre. Somente João no quarto evangelho utiliza essa palavra como se o milagre fosse o abonador da pregação e da doutrina de Jesus, bem como eram, no sentido mais amplo, a revelação incontestável da sua glória divina.

Os milagres de Jesus faziam parte da sua missão messiânica, e estavam bem de acordo com a visão do Messias que o profeta Isaías antecipara. Mesmos que os seus adversários atribuíssem tais milagres a um poder demoníaco, de forma alguma puderam explicá-los à luz da sua doutrina, porque os sinais da sua divindade extrapolavam as fronteiras de Israel e das intervenções misericordiosas de Deus. Segundo a doutrina rabínica, Israel era o único objeto do amor de Deus. Aos outros povos cabiam somente a sua vingança.

Jesus nunca se exaltou como milagreiro e nunca chamou para si o crédito dos milagres que realizava. Pelo contrário, o crédito era sempre dado ao infinito amor do seu Pai. No entanto, o que se pode observar em vários casos, é que este crédito era também dado à fé da pessoa que recebia o milagre. Pela simples expressão “a tua fé te salvou”, ele fazia com que a pessoa tivesse participação no acontecimento milagroso, fazendo com que esta pessoa sentisse a importância que tinha para Deus e para o seu Reino. O que não dá para conceber é que a totalidade das pessoas que ouviram da boca de Jesus estas abençoadoras palavras eram justamente os estrangeiros, os doentes, os marginalizados e oprimidos pela religião. Em última análise, os milagres de Deus só acontecem onde ele bem deseja que aconteçam, nunca servirão de provas da sua predileção, muito poucas vezes se darão em público, nunca ficarão restrito a grupos e nunca acontecerão em horas e locais previamente programados.

0 comentários. Faça o seu:

 
Copyright 2012 Amós Boiadeiro. Powered by Blogger
Blogger by Blogger Templates and Images by Wpthemescreator
Personal Blogger Templates