Quando o inverno chega IV

Timóteo pregando em Listra, www.daum.net
Mas Paulo pede ainda uma última coisa. Ele pede que lhe tragam Marcos. Aquele mesmo João Marcos com quem teve problemas na sua segunda viagem missionária. A discussão entre eles foi tão violenta que os dois se separaram, Barnabé foi com Marcos e Paulo levou Silas. Nós podemos observar muita coisa que Jesus aturou que Paulo não aturaria não. Principalmente aquelas pessoas que chegavam para Jesus para pedir cosias básica, que dependiam exclusivamente delas mesmas. Se fossem pedir a mesma coisa para Paulo ele diria na cara delas: Vai trabalhar vagabundo! Paulo também era implacável contra certos adversários. Quanto ao tal latoeiro que lhe fez mal, ele disse: Pode deixar que Deus vai cuidar bem dele.
Mas é certo também que ele tinha a capacidade de voltar a trás, de reconhecer o verdadeiro valor das pessoas, e de admitir que elas podiam mudar. O simplesmente querer a volta de João Marcos mostra a sua necessidade de amigos. Tanto os amigos que colaboraram, quanto os amigos que criaram obstáculos; tanto os amigos que o confrontaram, quanto aqueles que o apoiaram; tantos os amigos de sempre, quanto os amigos que foram ficando pelo caminho.
Da necessidade de ter amigos no inverno da vida nem mesmo Jesus escapou. Quando sentiu que o seu fim era iminente, Jesus chegou para as pessoas que acompanhavam há muito tempo e disse: Já não chamo vocês de servos, porque o servo não sabe o que seu patrão faz. Eu chamo vocês de amigos. Paulo insinua essas palavras dizendo: Para vocês eu não sou mais o apóstolo Paulo, e nem João Marcos mais meu discípulo. Tanto ele quanto vocês agora são meus amigos. Sem a sua presença na minha vida, de que me valem rolos e os pergaminhos? Eu vou apenas falar sozinho.
Eu queria terminar dizendo que não consigo imaginar que o compositor popular Zé Rodrix não tivesse na cabeça esse trecho da carta de Paulo quando compôs Casa no campo. As semelhanças são muito óbvias para não serem percebidas. E é como um tributo a Paulo e a essa pérola que ele nos deixou no final do seu ministério ativo que eu uso a letra dessa música para encerrar essa meditação.

Eu quero uma casa no campo
Onde eu possa compor muitos rocks rurais
E tenha somente a certeza
Dos amigos do peito e nada mais

Eu quero uma casa no campo
Onde eu possa ficar no tamanho da paz
E tenha somente a certeza
Dos limites do corpo e nada mais

Eu quero carneiros e cabras pastando solenes no meu jardim
Eu quero o silêncio das línguas cansadas
Eu quero a esperança de óculos, meu filho de cuca legal
Eu quero plantar e colher com a mão a pimenta e o sal

Eu quero uma casa no campo
Do tamanho ideal, pau a pique e sapê
Onde eu possa plantar meus amigos
Meus discos e livros e nada mais

Leitura II Timóteo 4

0 comentários. Faça o seu:

 
Copyright 2012 Amós Boiadeiro. Powered by Blogger
Blogger by Blogger Templates and Images by Wpthemescreator
Personal Blogger Templates