O que é PONTÍFICE?

Judeus orando no Yom Kippur,
Maurycy Gottlieb (1856-1879)
Apesar de completamente estranho ao linguajar evangélico, principalmente o originário da reforma, o termo grego archiereis, que foi traduzido por pontífice, ocorre sessenta e duas vezes no Segundo Testamento, como também diversa vezes em escritos de Flavius Josefos. Alguns teólogos afirmam ainda que este termo é plural de arquiereus, que ocorre mais trinta e oito vezes neste Testamento. A palavra pode traduzida literalmente por sumo sacerdote, aquele que estava à frente das celebrações máximas do Judaísmo, inclusive do ato extremo do Yom Kippur ou Dia do Perdão. Foram consideradas pessoas extremamente perigosas aos interesses do Império Romano como homens, que uma vez tendo consolidado seu domínio sobre a Judeia, ordenou que Herodes, o Grande, depusesse todos os que haviam ocupado este cargo, como também os principais membros das famílias sacerdotais, colocando em seus lugares pessoas da sua confiança.

Já há muito que os sumos sacerdotes do judaísmo eram escolhidos, mas pelos critérios da escolha passavam não somente o candidato como também a sua família e a sua história. Mais tarde, principalmente sob a influência romana, eram escolhidos dentre os membros do Sinédrio, constituindo assim parte de um grupo que era encarregado da administração do prédio e das finanças do Templo de Jerusalém. A este colegiado pertenciam também o segundo em comando, que era chamado de comandante do templo: Falavam eles ainda ao povo quando sobrevieram os sacerdotes, o capitão do templo e os saduceus. (At 4.1), como também os chefes das vinte e quatro turmas de sacerdotes que se revezavam nos serviços diários, os superintendentes e tesoureiros.

Por diversas vezes eles são citados entre os grupos de anciãos, chefes dos judeus, escribas e fariseus. Esse era o conjunto das autoridades judaicas. Para Lucas, no entanto, ele era o expoente máximo de toda autoridade. Mesmo com a destruição do Templo pelos romanos em 70 d.C., os sumos sacerdotes não perderam totalmente o seu prestígio. Atos 14.19 mencionar um sumo sacerdote em Éfeso: Os que faziam isto eram sete filhos de um judeu chamado Ceva, sumo sacerdote. Bem mais tarde, os livros das Antiguidades Judaicas citam a presença de um sumo sacerdote no Egito.

É do caos total que Deus inicia a sua criação. Quem, no tempo de Jesus, iria imaginar a atuação de um sumo sacerdote além das fronteiras da Cidade Santa? Quem poderia imaginar que a autoridade deste sacerdote iria ser um dia reconhecida em outro país. Deus da destruição total do templo, inaugurou o sacerdócio uniu versal de todos aqueles que nele creem, mas deixou bem claro que na hierarquia cristã, o mais importante é aquele que serve. Que o primeiro no seu Reino é aquele que coloca os outros à sua frente. E mais ainda: aquele a quem muito se dá, muito será cobrado. O Papa Francisco, que é conhecedor profundo de todas essas propostas da fé cristã, há de cumpri-las e de fazer com que a sua igreja as cumpra. Isso já seria o bastante para que a sua autoridade fosse reconhecida e respeitada por fronteiras além do Vaticano. 

0 comentários. Faça o seu:

 
Copyright 2012 Amós Boiadeiro. Powered by Blogger
Blogger by Blogger Templates and Images by Wpthemescreator
Personal Blogger Templates