Primeiro, o Reino

Por isso, vos digo: não andeis ansiosos pela vossa vida,
quanto ao que haveis de comer ou beber,
nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir.
...buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça,
e todas essas coisa vos serão acrescentadas.

- Mateus 6.25 e 33 -
Oração de Elias, autor não identificado
Penso que, em geral, todos concordam com as palavras de Jesus registradas por Mateus, de que ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar o outro, ou se devotará a um e desprezará o outro. E com esta implicação: não podeis servir a Deus e as riquezas. Semelhantemente, com as que encontramos no capítulo 12 de Lucas, no contexto de uma advertência mais elaborada sobre a avareza: a vida de um homem não consiste na abundância de bens que ele possui.

Impressiona o fato de que a maioria das edições do texto sagrado coloque um ponto final depois destas palavras, adicione um novo título e continue como se o mestre tivesse mudado de assunto. Mas faltava a conclusão, as consequências do que havia exposto: por isso, concluiu, não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber, nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Tanto Mateus quanto Lucas registraram exatamente as mesmas palavras e as seguintes, até: buscai, pois, em primeiro lugar o reino e sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas.

É fácil entender que o acúmulo de riquezas não deve ser uma prioridade, pois somos testemunhas das terríveis consequências dessa atitude, e de que os que assim procedem não alcançam necessariamente felicidade, nem mesmo tranqüilidade. Entretanto, parece-nos bastante justificável que nossa primeira preocupação seja garantir o pão, a água e o agasalho nossos de cada dia. E dedicamos para isso a quase totalidade de nosso tempo: oito horas diárias, oficialmente, mais as horas-extras, o tempo gasto no deslocamento entre a residência e o local de trabalho, etc. Achamos também razoável trabalhar por uma comida e uma bebida mais saborosas, por uma roupa e um calçado mais confortáveis e bonitos; quem sabe, um carrinho, um imóvel próprio aconchegante; talvez, outra casa na praia, no campo ou na serra; uma viagenzinha, de vez em quando.

A palavra do mestre não constitui uma censura por desejarmos essas coisas, uma vez que foram criadas para o nosso bem, nossa felicidade. Mas nos esclarece de que, se dermos prioridade ao Reino e a sua justiça, teremos de preferência vida, paz e mais tudo isso. Continua em O Reino, primeiro.


Referências bíblicas:
Mateus 6.24-34; Lucas 12.13-31.

0 comentários. Faça o seu:

 
Copyright 2012 Amós Boiadeiro. Powered by Blogger
Blogger by Blogger Templates and Images by Wpthemescreator
Personal Blogger Templates