O que é PEREGRINAÇÃO? I

Abraão e os três anjos, Rembrandt em 1646
Comum à maioria das religiões a peregrinação é uma prática anterior à Bíblia. É uma viagem dos fiéis a um local consagrado por manifestação divina ou pela atividade de um mestre religioso para ali apresentarem as suas preces em um contexto particularmente favorável. Habitualmente a visita a um lugar santo é antecedida por rituais de purificação que se realizam diante de uma assembleia da qual o fiel é um membro destacado. Esta assembleia não somente lhe concede permissão para a sua peregrinação, mas também determina quando ela deve se iniciar e se findar. Em resumo: a peregrinação é uma procura ansiosa de Deus, um encontro extasiante com ele em um ambiente cultual apropriado.

Antes de Josias, através da sua reforma deuteronômica1, proclamar a unicidade do Templo, em Israel existiam numerosos centros de peregrinação, lugares sagrados relacionados com a sua história sagrada e onde aconteceram os grandes feitos dos seus ancestrais. Os patriarcas bíblicos faziam as peregrinações comuns aos caldeus: Gn 11.31 - Tomou Tera a Abrão, seu filho, e a Ló, filho de Harã, filho de seu filho, e a Sarai, sua nora, mulher de seu filho Abrão, e saiu com eles de Ur dos caldeus, para ir à terra de Canaã; foram até Harã, onde ficaram, bem como as peregrinações que eram orientadas pelo seu Deus: Gn 35.2b-3 - Lançai fora os deuses estranhos que há no vosso meio, purificai-vos e mudai as vossas vestes; levantemo-nos e subamos a Betel. Farei ali um altar ao Deus que me respondeu no dia da minha angústia e me acompanhou no caminho por onde andei.

Havia também outros lugares, como Siquém e Manre, onde aconteceram as teofanias a Abraão: Gn 18.1 - Apareceu o SENHOR a Abraão nos carvalhais de Manre, quando ele estava assentado à entrada da tenda, no maior calor do dia, e Peniel, onde aconteceu a luta de Jacó com um ser estranho: Gn 32.30 - Àquele lugar chamou Jacó Peniel, pois disse: Vi a Deus face a face, e a minha vida foi salva. Todas essas eram muito semelhantes às peregrinações que faziam os povos de Canaã a seus santuários, que comumente eram identificadas por imensos altares de pedra, estelas ricamente trabalhadas, árvores, montes e poços sagrados. O que Israel fazia como diferencial eram: a invocação do nome de Yahweh, as unções, aspersões, as abluções e os dízimos, que são práticas e preceitos comuns à fé judaica. É curioso o fato de que o local da grande teofania de Deus a Moisés, que se deu no monte Horebe, local onde realmente se iniciou a sua libertação do jugo egípcio e a consciência dos hebreus como Povo de Deus, nunca fosse lembrado: Ex 3.1s - Apascentava Moisés o rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote de Midiã; e, levando o rebanho para o lado ocidental do deserto, chegou ao monte de Deus, a Horebe. Apareceu-lhe o Anjo do SENHOR numa chama de fogo, no meio de uma sarça; Moisés olhou, e eis que a sarça ardia no fogo e a sarça não se consumia.

A partir daí constatou-se uma longa e persistente ida de peregrinos a assembleias religiosas, tais como Bersabeia, Ofra, Saraa e Siló, esta última foi onde residiu a Arca da Aliança: Jz 21-19 - Então, disseram: Eis que, de ano em ano, há solenidade do SENHOR em Siló, que se celebra para o norte de Betel, do lado do nascente do sol, pelo caminho alto que sobe de Betel a Siquém e para o sul de Lebona. Mas depois da introdução da Arca em Jerusalém por Davi, e, principalmente, da construção do Templo por Salomão, as peregrinações ao monte Sião assumem importância predominante: I Rs 12.27 - Se este povo subir para fazer sacrifícios na Casa do SENHOR, em Jerusalém, o coração dele se tornará a seu senhor, a Roboão, rei de Judá; e me matarão e tornarão a ele, ao rei de Judá. Desde muito tempo, então, os códigos antigos das Alianças javista2 (Ex 34.18-23) e elohista3 (Ex 23.14-17)

Todas as peregrinações, até então, eram prescritas apenas à população masculina, e eram em número de três por ano, cada uma a um santuário, tendo a sua data determinada pela festa que lá se realizava: Dt 16.16: - Três vezes no ano, todo varão entre ti aparecerá perante o SENHOR, teu Deus, no lugar que escolher, na Festa dos Pães Asmos, e na Festa das Semanas, e na Festa dos Tabernáculos; porém não aparecerá de mãos vazias perante o SENHOR. (continua)

¹ - Reforma instituída por Josias após a descoberta do rolo contendo o livro do Deuteronômio nos porões do Templo: II Rs 23.24 - Aboliu também Josias os médiuns, os feiticeiros, os ídolos do lar, os ídolos e todas as abominações que se viam na terra de Judá e em Jerusalém, para cumprir as palavras da lei, que estavam escritas no livro que o sacerdote Hilquias achara na Casa do SENHOR.

² - Tradição literária que chamava Deus de Yahweh, cuja tradução é SENHOR.

³ - Tradição literária que chamava Deus de Helohim.

0 comentários. Faça o seu:

 
Copyright 2012 Amós Boiadeiro. Powered by Blogger
Blogger by Blogger Templates and Images by Wpthemescreator
Personal Blogger Templates